功夫 Kung Fu

HISTÓRIA DO KUNG FU (功夫)

           A história da humanidade sempre foi marcada por vários tipos de disputas comerciais, esportivas, culturais, industriais, amorosas, políticas, familiares, entre outras, desde tempos idos até os dias de hoje. Muitas foram as pessoas que acreditando serem poderosas, extrapolaram seus limites chegando a exterminar povos e mais povos com tremenda crueldade. Impérios foram erguidos e destruídos, donde se constata a enfermidade da vida humana e suas más ações e de que tudo que é feito para prejudicar seu semelhante lhe retorna em dobro.

           Na luta pela sobrevivência ou seja no combate a seus semelhantes e aos animais, o homem vem utilizando desde outrora objetos como pedras, galhos de árvores ou mesmo ossos de animais como armas, considerados como princípios das artes marciais, além de artifícios mesquinhos (intrigas, espionagem, falta de ética, etc.) para os superar.

           Quando a luta acontecia, os homens melhor treinados em combate sempre ganhavam, ao passo que os destreinados eram sempre derrotados. Por isso as pessoas, especialmente os militares, na antiga China se esforçavam para aprender as habilidades individuais ao invés de trabalharem em grupo, porque sabiam que um homem com excelente habilidade poderia derrotar vários adversários, daí o porque das habilidades da arte de combate chinesa se destacar em tempos antigos.

           Os antigos chineses dependiam tanto de seus punhos que desenvolveram um método de pugilismo chamado Boxe Chinês, conhecido no Ocidente como Kung Fu, graças a imigrantes cantoneses radicados nos EUA no século XIX.

           Kung Fu (功夫) é uma importante herança da cultura chinesa e segundo pesquisadores suas origens remontam a mais ou menos 25000 anos atrás graças as descobertas por arqueólogos de machados de pedras, facas, flechas utilizadas pelos homem pré-histórico chinês para caçar animais, bem como se defenderem e atacar seus inimigos.

           O termo Kung Fu que não é sinônimo para artes marciais chinesas possui vários significados, entre os quais estes:

KUNG:  energia, habilidade, trabalho

FU:  tempo

Assim temos “tempo de habilidade”.

KUNG:  disciplina

FU:  pessoa

Assim temos “pessoa disciplinada”.

Outras traduções sutis são:

“Esforço e tempo desprendido para executar uma tarefa ou dominar uma habilidade”.

“Perfeição encontrada através da aplicação”.

           Em outras palavras, Kung Fu não é propriamente uma habilidade – tal qual perícia em artes marciais – mas um processo de trabalho e prática através do qual uma habilidade ou perícia é desenvolvida .

           A cultura chinesa prega que para dominar qualquer estilo marcial chinês leva-se no mínimo uma década de devotado esforço, desta forma Kung Fu torna-se sim sinônimo de arte marcial chinesa.

           Cabe ressaltar que por tradição o termo correto a ser utilizado seria “WUSHU”. Traduzido diretamente do chinês, WU significa “militar, marcial, e SHU denota uma “habilidade, técnica,arte. A definição de arte marcial para WUSHU tornou-se mais profunda, por ser verdadeiramente a combinação harmônica do corpo, mente e espírito em ordem para tornar uma pessoa melhor e viver uma vida melhor fazendo com que os termos KUNG FU e WUSHU tão populares e difundidos tornem-se um só. Outro termo “KUOSHU” ou Arte Nacional foi criado em 1928 pelo governo nacionalista chinês com o forte propósito de recuperar os estilos de WU SHU que quase desapareceram durante os anos de ocupação da China pelos Manchus.

           Passando por diversas transformações durante várias dinastias até fins do século XX onde se inclui estratégias militares e Medicina Tradicional Chinesa com destaque para PIN CHUH e HUA TO, famosos médicos acupunturistas e cirurgiões, sendo este último criador do Boxe Hua ou Boxe dos 5 Animais – tigre, macaco, garça, cervo e urso – considerado o antecessor dos estilos de Kung Fu e que visava melhorar a saúde do povo chinês.

           Mas foi durante a dinastia NAN BEI CHAO (Norte-Sul) com a chegada do Monge Budista Indiano (28° sucessor de Buddha) chamado BODHIDHARMA (P’U-TI-TA-MO) que as artes marciais chinesas começaram a despontar para o mundo.

           As artes marciais chinesas atingiram seu apogeu técnico entre meados dos séculos XVII e XVIII, quando os Templos Shaolin do Norte e do Sul estavam engajados no duro treinamento revolucionário para derrubar a dinastia CH’ING dos invasores Manchus.

           Do século XVIII ao século XX as artes marciais chinesas alcançaram a fama em todo mundo abrilhantadas por estupendos feitos de WONG FEI HUNG, HUO WEN CHIA (fundador de CHIN WU), LAI HUNG, JET LI, JACKIE CHAN e principalmente LEE JUN FAN (BRUCE LEE), introdutor do estilo WING CHUN nos EUA e criador do JUN FAN KUNG FU e JEET KUNE DO e outros excelentes praticantes que provaram ao mundo que a luta chinesa realmente funciona desmistificando o conceito criado nos círculos de artes marciais que o Kung Fu não passa de um balé feito por pessoas desqualificadas culturalmente que não compreenderam o real significado das artes marciais que praticam originadas direta ou indiretamente do Kung Fu, ressaltando que o governo invasor Manchu proibira sua prática no século XVII e iniciou perseguições a praticantes que buscaram refúgio em óperas chinesas onde mesclaram formas de Kung Fu com passos de danças e acrobacias destituído de força ou aplicação prática fazendo com que daquele período aos dias atuais poucos ocidentais e chineses tivessem acesso ao verdadeiro Kung Fu.

           O KUNG FU (功夫) possui tendências diferentes, entre as quais:

           Meditação; Defesa Pessoal; Luta de Demonstração; Filosofia; Medicina;  Línguas; Artes; História; entre outras.

           Não possui graduações por faixas, como nos sistemas japoneses e coreanos, ao contrário utiliza-se de cintas como parte do uniforme de treinamento. O sistema de graduação é baseado na estrutura familiar chinesa, a qual sempre coloca o mais antigo em prática como o chefe do clã.

           O Kung Fu (功夫) é praticado com ginástica apropriada, movimentos de luta individuais (Tao Lus), técnicas de ataque e defesa, movimentos de luta a dois (Toi Tchas), os quais requer humildade, paciência e cautela por parte do estudante e nos níveis avançados a prática da caligrafia chinesa, pintura chinesa, medicina tradicional e etc. Estas disciplinas tornam-se bens inestimáveis por toda a vida. Um indivíduo pode aplicá-los em suas atividades profissionais, acadêmicas e sociais. Portanto estas habilidades tornam-se uma parte da personalidade, um caminho de vida. Velocidade, força, precisão, coordenação motora grossa e fina, concentração, memorização, raciocínio, respiração correta são desenvolvidos, resultando em equilíbrio das funções psíquicas e orgânicas, socialização e bem estar do corpo. Homens, mulheres, crianças e idosos podem praticá-lo.